Psicologia positiva

A psicologia positiva é um termo recentemente usado mas que começou na década de 90. Para falarmos sobre a psicologia positiva devemos comparar com a Psicologia tradicional.

Enquanto que a psicologia tradicional tenta explicar e corrigir os erros dos pacientes o diferencial é que na Psicologia positiva tenta-se reforçar o que já é positivo do paciente. Desse modo a Psicologia Positiva se interessa pelo que dá certo com as pessoas, se interessa por suas qualidades e sobre como promover o seu funcionamento e desenvolvimento contínuo. Assim, a Psicologia Positiva veio trazer um novo enfoque: abordar o que faz a vida valer a pena, qual o meu ou meus propósitos de vida.

Hoje em dia a psicologia positiva está de volta aos grandes debates da atualidade, enquanto nós estamos vivendo um mundo da nova era digital, em que nossas vidas são constantemente divulgadas virtualmente. O lado positivo da era digital são muitos como maior acesso a informação, notícias mais ágeis e em tempo real, facilidade de contato com as pessoas, um leque maior de conhecimento disponível entre tantos outros benefícios. No entanto, há outros males como a busca pela perfeição, seja obter o corpo perfeito, seja a busca pela riqueza ou até mesmo apenas para ostentar aquilo que não se tem, sendo o mais importante a repercussão que haverá. De acordo com a tese de 1899 do economista Thorstein Veblen sobre a ostentação e consumo conspícuo e a teoria da classe ociosa “Ostentação é comprar aquilo que você não quer, para mostrar pra quem você não gosta com o dinheiro que você não tem” .

Em suma, a Psicologia Positiva está ainda mais presente dos debates atuais e tem como objetivo mostrar as pessoas seus reais motivos para serem mais felizes e de uma forma mais plena, verdadeira e autêntica.

0 respostas

Deixe uma resposta

Comente sobre esse artigo!
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *